Bem vindo a Portugal!

Bem vindo a Portugal!

Jornada Mundial da Juventude 2023

MEGA HITS
25/05/2021
PUB

O Papa Francisco recebeu o logotipo e o terço da JMJ Lisboa 2023, no dia 20 maio, dia em que se assinalaram 29 anos da sua nomeação para Bispo Auxiliar de Buenos Aires.

O logotipo em madeira é semelhante aos que foram enviados para cada um dos 21 Comités Organizadores Diocesanos da JMJ, que correspondem às 21 dioceses de Portugal, e foi entregue ao Papa durante a audiência que Sua Santidade concedeu ao presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 e bispo auxiliar de Lisboa, D. Américo Aguiar.

Nesta visita à Santa Sé, D. Américo Aguiar teve oportunidade de reunir com vários dicastérios da cúria romana e entregar a imagem oficial e o terço da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 aos Cardeais Pietro Parolin, Secretário de Estado da Santa Sé; Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, Família e Vida; Luis Antonio Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos; Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos; Saraiva Martins, prefeito emérito para as Causas dos Santos; e Tolentino Mendonça, arquivista e bibliotecário da Santa Sé.

Receberam também o logo e o terço da JMJ Lisboa 2023 D. Edgar Peña Parra, substituto da Secretaria de Estado da Santa Sé; D. Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício para a Cultura; os monsenhores Guido Marini, mestre de celebrações litúrgicas do Vaticano, e Fernando Matos, Conselheiro Eclesiástico na Embaixada Portuguesa junto da Santa Sé; os padres Alexandre Mello e João Chagas, respetivamente secretário e responsável pelo sector da juventude do Dicastério para os Leigos, Família e Vida; monsenhor Agostinho Borges, reitor da Igreja de Santo António dos Portugueses; os padres José Alfredo Patrício e António Estevão, reitor e vice-reitor do Pontifício Colégio Português; e ainda António Almeida Lima, embaixador de Portugal junto da Santa Sé.


 

Todos vão ouvir a nossa voz,
Levantemos os braços, há pressa no ar.
Jesus vive e não nos deixa sós:
Não mais deixaremos de amar.

(Refrão do hino "Há Pressa no Ar")


O hino oficial da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023, intitulado "Há Pressa no Ar", foi apresentado esta quarta-feira, 27 de janeiro. A canção, inspirada no tema da JMJ Lisboa 2023 [«Maria levantou-se e partiu apressadamente» (Lc1,39)], desenvolve-se em torno do ‘sim’ de Maria e da sua pressa para ir ao encontro da prima Isabel, como relata a passagem bíblica.

"Há Pressa no Ar" tem letra de João Paulo Vaz, sacerdote, e música de Pedro Ferreira, professor e músico, ambos da diocese de Coimbra, no centro de Portugal.

Os arranjos são do músico Carlos Garcia. O tema foi gravado, em duas versões: em português e na versão internacional em cinco idiomas (português, inglês, espanhol, francês e italiano).

Ao cantar este hino, os jovens de todo o mundo são convidados a identificarem-se com Maria, dispondo-se ao serviço, à missão e à transformação do mundo. A letra evoca também a festa da JMJ e a alegria centrada na relação com Deus.


O Concurso que elegeu a música

A canção oficial da JMJ Lisboa 2023 foi escolhida em concurso nacional, aberto à participação de portugueses maiores de idade. O Comité Organizador Local (COL) recebeu mais de uma centena de candidaturas, que foram analisadas por um júri composto por profissionais das áreas da música e das artes.
Como requisitos principais para a participação na competição foi pedido aos participantes que o hino oficial se inspirasse no lema da JMJ 2023, definido pelo Papa Francisco; nos objetivos da JMJ, entre os quais sobressai o da evangelização; e na cultura portuguesa.

O processo de produção em estúdio, realizado em 2020, envolveu jovens de todo o país, alguns dos quais participantes na competição que, apesar de não terem sido selecionados, integraram o coro da gravação final.

Uma canção que nasceu para unir

A melodia nasceu primeiro do que a letra, contam os autores. Pedro Ferreira, de 41 anos, compôs, numa "pequena sala, sozinho ao piano", uma melodia "pensada para congregar, unir uma comunidade". Com outros amigos da Banda da Paróquia, grupo musical que integra, pediu ao padre João Paulo Vaz para escrever a letra.

"Não alterando em nada a melodia, e com a guitarra na mão, fui escrevendo, como costumo fazer", recorda o sacerdote, de 51 anos.

"O tema da edição de Lisboa [‘Maria levantou-se a partiu apressadamente’ (Lc 1,39)] levou-me a rever a minha relação com a Mãe e, portanto, o processo criativo da letra tornou-se um tempo de oração muito profundo para mim", partilha João Paulo Vaz.


Quando ao estilo, foi solicitada no concurso "uma música popular, alegre, juvenil, fácil de aprender e de fácil tradução e adaptação". Os arranjos musicais de "Há Pressa no Ar" são da autoria do músico Carlos Garcia. "Ao ouvir o tema, o Carlos acaba por se apropriar da melodia e num trabalho notável – não lhe mexe na estrutura, na forma – enriquece-a de uma forma única", sublinha o autor da melodia, Pedro Ferreira, que foi fundador da banda portuguesa Anaquim, entre outros projetos musicais.


A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja.

Acontece todos os anos a nível diocesano, por altura do Domingo de Ramos, e a cada dois, três ou quatro anos como um encontro internacional, numa cidade escolhida pelo Papa, sempre com a sua presença. Reúne milhares de jovens para celebrar a fé e a pertença à Igreja.

Em 2023, Portugal recebe a XXVIII Jornada Mundial da Juventude que acontecerá, pela primeira vez, em Lisboa.

Desde a primeira edição, que se realizou na cidade de Roma em 1986, a Jornada Mundial da Juventude tem-se evidenciado como um laboratório de fé, um lugar de nascimento de vocações ao matrimónio e à vida Consagrada e um instrumento de evangelização e transformação da Igreja.

Visa proporcionar a todos os participantes uma experiência de Igreja universal, fomentando o encontro pessoal com Jesus Cristo. É um novo impulso à fé, à esperança e à caridade de toda a comunidade do país de acolhimento. Tendo os jovens como protagonistas, a Jornada Mundial da Juventude procura também promover a paz, a união e a fraternidade entre os povos e as nações de todo o mundo.

"Maria levantou-se e partiu apressadamente" (Lc 1, 39) é a citação bíblica escolhida pelo Papa Francisco como tema para a JMJ 2023. A frase bíblica (uma citação do Evangelho de São Lucas) dá início ao relato da Visitação (a visita de Maria a sua prima Isabel), um episódio bíblico que se segue à Anunciação (o anúncio do anjo a Maria de que iria ser a mãe do Filho de Deus e que foi o tema da última JMJ, na Cidade do Panamá).

Mais informações em www.lisboa2023.org.


Bem-vindos a Portugal!

“A próxima Jornada Mundial da Juventude vai decorrer em Portugal”.


Foram estas as palavras do cardeal Kevin Farrell (prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida da Santa Sé) que arrancaram uma salva de palmas das centenas de milhares de participantes na Missa conclusiva da JMJ 2019, na Cidade do Panamá.

O anúncio foi acompanhado, no campo São João Paulo II, por uma delegação do Patriarcado de Lisboa, presidida por D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa; pelo presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa; e pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

As Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude. Inicialmente agendadas para 2022, foram entretanto adiadas para agosto de 2023, por causa da crise provocada pela pandemia de Covid-19.

As edições internacionais destas jornadas promovidas pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

Após o anúncio do Papa, foi apresentado um vídeo de boas-vindas, com intervenções do presidente da República Portuguesa, do primeiro-ministro, do presidente da Câmara Municipal de Lisboa e do cardeal-patriarca.

“Sejam bem-vindos a Portugal, jovens de todo o mundo”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Já António Costa destacou que “há séculos que Portugal constrói pontes de amizade entre povos e entre culturas”.
“Gostamos de receber quem nos visita, gostamos de acolher quem quer viver entre nós. Sejam-bem-vindos a Portugal”, acrescentou o líder do executivo.

Já Fernando Medina falou de uma “cidade alegre e vibrante”.
“Vamos receber-vos a todos com grande alegria. Bem-vindos a Lisboa”, declarou o autarca.

D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca e presidente da conferência Episcopal Portuguesa, deixou um convite:
“Estaremos juntos em Lisboa, com o Papa Francisco, celebrando a fé e enviando ao mundo uma mensagem de paz”.